January 10, 2014

Alguns eventos astronômicos em 2014

Quais são os grandes eventos celestes para 2014? Apresentamos aqui um resumo dos principais eventos, outros serão comentados ao longo do ano em vários posts.

Oposição de planetas: destaque para Marte.

 Um planeta 'superior' (isto é, externo à órbita da Terra) está em oposição quando se encontra alinhado com a reta que liga o sol à Terra. Em 2014, espera-se a oposição dos principais planetas visíveis: Júpiter para o começo do ano (dia 5 de Janeiro), Marte (em 8 de abril) e Saturno (em 10 de Maio).

Júpiter chega a atingir o diâmetro aparente de 47", Marte, 15", e Saturno 19". A oposição de Saturno ocorrerá na constelação de Libra e terá anéis inclinados em 22 graus em relação à linha aparente que nos une a ele.

De particular interesse para amadores será a oposição de Marte, uma vez que esse planeta apenas a cada dois anos, aproximadamente, pode ser observado em condições favoráveis. O diâmetro que ele atingirá (que se deve à combinação de geometria entre as distâncias da Terra e Marte) é apenas pouco mais da metade da oposição mais favorável (que chega a quase 26"). Marte está se tornando um objeto gradativamente mais favorável para observação. Por exemplo, na próxima oposição favorável (a 22 de Maio de 2016, Marte atingirá 18,4").  A 27 de Julho de 2018, será 24,1".
Fig. 1 Imagem de Marte em 2005.

A observação de Marte é particularmente difícil, detalhes requerem que a noite esteja límpida e a atmosfera bem serena. Entretanto, o registro fotográfico - principalmente se feito com técnicas modernas de redução de ruído (como as que usam o processo de empilhamento de imagens) sempre conseguirá revelar mais detalhes do que a observação com o olho.

A Fig. 2 traz um aspecto do céu em 8 de Abril de 2014, a data da oposição de Marte. Brilhando então com mag. -1,5 ele terá como companheiros no céu a estrela Spica (da Virgem) e os asteróides Vesta e Ceres, brilhando respectivamente a 5,5 e 4,2.

Fig. 2 Mapa do Stellarium da posição de Marte no céu próximo da estrela Spica na noite de 8 de abril de 2014 (oposição). Junto com Marte, também será possível ver os asteroides Vesta e Ceres.
Urano, embora não seja planeta dos mais brilhantes, atinge oposição em 7 de Outubro de 2014, quando se apresenta com um disquinho de aproximadamente 4" de diâmetro e brilhando com mag. ~6,0.

Eclipses

Abril de 2014 também traz um eclipse da lua, que será o primeiro completamente visível (em todo hemisfério obscurecido da Terra na data) deste Dezembro de 2011. Ocorrerá na madrugada do dia 15 de Abril de 2014. A imersão da sombra terrestre na lua, para moradores do fuso -3h (correspondente ao horário de Brasília) ocorrerá a partir da 3:00, com a lua aproximadamente a 45 graus de elevação em relação ao horizonte. Às 04:00 ela já estará completamente eclipsada, e terá, como companheiros no céu, Spica (α Vir) e Marte, já em direção ao horizonte oeste. A sombra começará a sair da superfície da lua a partir de 05:26. É importante notar que o final do eclipse não será visível no Brasil.


Fig. 3 Lua quase completamente eclipsada a 15/4/2014, 04:00 tempo de Brasília, tendo Spica (α Vir) como companheira a aproximadamente 2 graus de distância.  O conjunto por si forma uma espécie de conjunção.
O mais interessante da ocorrência desse eclipse é o escurecimento do céu, que permitirá ver a olho nu estrelas que são bastante ofuscadas com a presença da lua cheia. Também brilhante será a presença de Marte, com mag. -1,4, já passada a  data de oposição.

O eclipse lunar será seguido de um eclipse anular do sol a 29 de Abril de 2014 que não será visível no Brasil.

Outro eclipse lunar ocorrerá a 8 de Outubro de 2014, que será principalmente visto no meio do oceano Pacífico e, portanto, desfavorável ao Brasil.

Conjunções

Uma conjunção é o fenômeno de localização aparente próxima entre dois astros 'não fixos' (planetas, sol, lua). Sem valor científico algum, as conjunções têm importância histórica (porque permitem conhecer com precisão a data de ocorrências passadas desde que tenham sido registradas historicamente) e de valor contemplativo.

Conjunção Lua-Marte: A noite de 7 de Junho de 2014 mostrará a lua (em fase crescente) próxima à Marte.

Conjunção Júpiter-Vênus. No alvorecer do dia 18 de Agosto de 2014, bem próximo ao horizonte leste, será possível ver Júpiter e Vênus, no que será a 'conjunção do ano' distantes apenas 12' um do outro. O horário mais favorável para observação será as 6:00 da manhã (horário de Brasília), mas, com o fenômeno, será interessante seguir os dois astros também durante o dia.

Fig. 4 Conjunção Vênus-Júpiter a 18 de Agosto de 2014 (aproximadamente 5 graus acima do horizonte leste).
Cometas em 2014.

Existirá algum cometa visível em 2014? Depois do 'fiasco' com o cometa Ison, fica sempre a pergunta sobre os próximos cometas.

Logo no começo do ano, há ainda chance de se observar o cometa C/2013 R1 (Lovejoy), de manhã, mas com brilho bastante reduzido em relação aquele de 2013. A data ideal para observá-lo será a partir do começo de Fevereiro de 2014, quando já terá se afastado o suficiente do Sol para ser visto antes da alvorada.

As duas outras 'promessas' de cometas em 2014 são cometas de fraco brilho, pelo menos para a vista desarmada:

  • C/2012 K1 (Panstarrs) que será visível com mag. 10 ou mais brilhante a partir de Abril de 2014 e que poderá atingir mag. 6 em meados de Outubro de 2014;
  • C/2013 A1 (Siding Spring) que atingirá mag. 8 no final de Setembro e começo de Outubro de 2014 e que irá passar muito próximo de Marte no dia 19 de Outubro. Já falamos sobre esse cometa no post: "Cometas em 2014: C/2013 A1 (colisão com marte?)" Dados recentes mostram que ele não irá se chocar com Marte.
Ainda que o Panstarrs seja mais brilhante, o espetáculo ficará com a 'conjunção' (nesse caso, não aparente) entre Marte e o cometa Siding Spring, que ocorrerá no dia 19 de Outubro de 2014. Um cometa com mag. 8, muito próximo de um planeta vermelho com mag. 1,0, será visível? O contraste de brilho é grande o suficiente para dificultar a visualização de ambos os corpos celestes ao mesmo tempo, mesmo com instrumentos, principalmente nas regiões com poluição luminosa. Como já discutimos no post citado, a 'colisão', ou seja, o momento de menor aproximação entre Marte e o cometa não será visível do Brasil. Assim, o melhor mesmo é tentar ver o par no dia 18 de Outubro de 2014, conforme mostra a Fig. 5, que prevê uma distância aparente de aproximadamente 43 minutos de arco (pouco mais que uma lua cheia) na data. 


Fig. 5 Posição no céu do cometa Siding Spring na noite de 18 de Outubro de 2014  (21:15 TL).  O momento de máxima aproximação não será visível  no  Brasil. A distância entre Marte e o cometa nesta data é de aproximadamente 43 minutos de arco que serão consumidos nas horas seguintes. Nesse horário, o par, entretanto, estará muito baixo, próximo ao horizonte ocidental.
O espetáculo será muito maior, porém, como visto deste a superfície de Marte, dada a proximidade do cometa do planeta (aproximadamente 140 mil quilômetros).

Mais informações sobre o C/2012 K1 (Panstarrs) serão fornecidas aqui em 2014. Por enquanto, esse cometa permanece como o mais brilhante de 2014. Vamos aguardar, quem sabe, a descoberta de algum outro ainda mais brilhante ao longo do ano.

Referências







1 comment:

  1. Very nice blog, with very accurate information. Excellent job!

    ReplyDelete